Dica - Luciane Vecchio

Oratória - dicas para falar bem em público!

Oratória - dicas para falar bem em público!

Ao longo da carreira eu treinei muitas pessoas, de diferentes cidades, profissões, níveis culturais e, com o passar do tempo, fui aprimorando a forma de ensinar, falar em público e trocar com os participantes.

Por isso, hoje trago algumas dicas que podem ajudar quem está ingressando nesse mundo maravilhoso: do ensino, treinamento e oratória!

1.    Ajudo verdadeiramente – penso: como isso vai ajudar as pessoas? Começo daí a montar a minha apresentação, para que ela seja útil a todos.

2.    Conheço meu público – nem sempre é possível, mas, faço de tudo para entender melhor expectativas, gostos, idades; assim fica muito mais fácil falar a língua que desejam ouvir.

3.    Conto histórias – preparo treinamentos e palestras de forma a trazer a realidade para perto do público por meio de explicações que se encaixem em suas vidas, sejam verdadeiras e, quando possível, divertidas, o que ajuda a fixar o aprendizado!

4.    Busco excelência e respeito o próximo – sou um ser humano, erro, acerto, me emociono... mas, dentro do possível, busco a excelência, respeitando quem está ouvindo, trazendo o melhor para o público.

5.    Estudo! Por mais óbvio que seja, muitas pessoas não se preparam. Procuro estudar o máximo aquilo que vou passar à audiência, estando sempre aberta, claro, a novos aprendizados!

6.    Treino e respiro fundo – ensaio diversas vezes o que vou dizer para diminuir erros, afinal, não adianta estar tudo fantástico se eu não demonstrar congruência entre o que faço e o que ensino! Além disso, lembro sempre que sou uma pessoa, com falhas e qualidades, ou seja, não tento aparentar perfeição.

7.    Visualizo tudo dando certo – aprendi isso com atletas profissionais; eles constroem uma história de sucesso, mentalizando que tudo sairá como planejado!

8.    Me alimento bem e faço atividade física – não sou um robô, posso falhar, mas, busco ao máximo estar bem no dia do treinamento para usar todo o tempo, responder às dúvidas e mostrar disposição.

Bônus: não me importo em mostrar vulnerabilidade. Afinal, ser, por algumas horas, o centro das atenções, é uma grande armadilha para o ego. Então, quando me mostro humana, me aproximo, crio vínculos e ajudo de verdade, o que rompe barreiras. 

Afinal, humanizar o meu discurso me aproxima até mesmo de quem não foi muito com a minha cara (risos).

_______________

Luciane Vecchio
Psicóloga Clínica | Consultora | Mentora | Colunista | Especialista em Desenvolvimento Humano, RH, Empreendedorismo, Carreira e Liderança | Atendimento a Executivos | Revisão de CV e Perfil Campeão LinkedIn
CRP: 06/74914

 

 

Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]