Trabalho muito no home office: qual o limite?

E-mail enviado por um leitor:

“Acho que tenho trabalhado mais do que devia nesse esquema do home-office.  A senhora teria como me dar dicas para enxergar com mais precisão esse limite? Até onde ir?”   

Resposta:

A pandemia fez com que o ambiente de trabalho e da casa se misturassem, não é mesmo?

Não é difícil encontrar pessoas que estejam ultrapassando a carga horária normal de trabalho, pois, acabam não se desligando e pensam sempre que podem usar mais “uma horinha do dia” para concluírem determinada tarefa.

Porém, como o trabalho acaba sendo uma sequência de atividades que não tem fim, a sensação de que estamos lutando contra o tempo acaba sendo maior, ainda mais se a sua personalidade for do tipo “foco total em resultados” ou “perfeição a todo custo”.

Tenho recebido vários pacientes no consultório com queixas em relação ao tempo e entendo como se sente e a frustração que esse sentimento causa.

E quando o local de trabalho se confunde com o ambiente familiar, é mais complicado ainda, pois, as crianças por muitas vezes desviam a atenção e desconcentram, fazendo com que uma tarefa seja retomada diversas vezes, deixando a sensação de incapacidade e mau uso do tempo.

A pandemia mostrou que estávamos adaptados a cenários que precisaram rapidamente ser modificados e muitos ainda estão se acostumando com a mudança.

Algumas pessoas ainda acabam se deixando levar pelo uso excessivo das redes sociais e do celular ao longo do dia de trabalho e se queixam de se serem improdutivas no fim do dia, pois, usaram o tempo de maneira inadequada.

Acredite que você tem controle sobre o seu tempo!

A solução é mais simples do que você pode imaginar, pois, praticando a gestão do seu tempo você conseguirá ter a sensação de que a rotina está no seu controle e não o contrário.

Para isso, estabeleça um quadro em local visível com os horários das tarefas, refeições e lazer (mesmo que dentro de casa), separando tempo para conhecer novas habilidades, estudar e realizar atividades diferentes das que está acostumado e que tem relação com o trabalho.

Estabeleça um cronograma e tenha a mesma rotina que tinha antes, fazendo pausas e parando o trabalho no mesmo horário que fazia anteriormente. Se for preciso, coloque um despertador para que se acostume a cumprir o que foi proposto no quadro.

Adapte o seu seu mindset, vendo essa situação como algo que está a seu favor e não jogando contra. Tire da gaveta aquela ideia que você tinha de aprender algo novo e comece a colocar em prática. Assim, o seu cérebro poderá relaxar e novas áreas serão estimuladas, levando a mais felicidade e satisfação.

Se possível for, estabeleça seu local trabalho em uma área separada na casa, para ter a ideia de que está verdadeiramente desconectado das atividades profissionais, quando chegar o fim do expediente.

Motive-se

Estabeleça uma rotina de exercícios físicos, por exemplo, após o almoço ou no fim do dia, para que você mude os ares e consiga retornar ao trabalho com a mente mais oxigenada. Faça algo que gosta muito, como ler, ver uma série ou cozinhar!

Reconheça de onde vem a pressão

Entenda de onde vem a cobrança para que trabalhe tantas horas, ela vem da liderança, dos colegas, clientes ou de você mesmo? Reconheça se você está colocando essa cobrança em cima da sua produtividade ou se é externa e lide com ela estabelecendo limites para cada tarefa.

Não se isole

Nesse momento muitas pessoas têm a tendência de se isolar, já que não podem sair de casa. É importante compartilhar seus sentimentos com amigos e familiares, o que permitirá também ouvi-los e se deparar com novos pontos de vista sobre determinada situação. Se preocupe com as pessoas que ama e você vai ver como isso tirará o seu foco da rotina pesada de trabalho.

Avalie suas emoções

Comece a se perguntar por qual motivo você precisa trabalhar tanto, de que está tentando desviar as suas emoções e sentimentos? Encontre novas fontes de ocupação e de prazer, tirando o foco somente dessa necessidade. Sabe aquele sentimento de que algo está “cobrindo buraco”? Pois é, muitas pessoas se prendem à rotina exaustante de trabalho para não lidarem com alguma dor.

Procure ajuda!

Caso perceba que não está conseguindo resolver essa situação sozinho, busque ajude de um Psicólogo, que é o profissional mais indicado para lidar com os conflitos e emoções humanas. Juntos e continuamente, vocês poderão encontrar estratégias de enfrentamento dessa situação.

Sucesso!

_______________

Luciane Vecchio
Psicóloga Clínica | Consultora | Mentora | Colunista | Especialista em Desenvolvimento Humano, RH, Empreendedorismo, Carreira e Liderança | Atendimento a Executivos | Revisão de CV e Perfil Campeão LinkedIn
CRP: 06/74914

Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]