Como lidar com a depressão e a solidão no home office?

E-mail enviado por uma leitora: Sinto-me muito solitária, esgotada e deprimida em trabalhar no esquema de home office. O que a senhora me aconselha? 

Resposta:

Lamento por isso! Muitos dos meus clientes e pacientes, acostumados com a vida agitada fora de casa, estão passando também por essa situação!

Entendo como se sente e gostaria de te ajudar a pensar de outra forma, vendo que existe o positivo dentro de cada negativo que nos cerca.

Em primeiro lugar, comece a pensar em tudo o que sempre quis fazer e não conseguiu por falta de tempo, pelas horas que perdia no trânsito, nos deslocamentos.

Mudar algo em sua casa, em você mesma, aprender algo coisa nova, ter tempo para cuidar de si, estudar um assunto que estava procrastinando! Avalie sua carreira, retome aquele curso que estava pendente, faça um planejamento para o seu futuro e estabeleça ações para colocar a mão na massa!

Imagino que você tivesse, diariamente, bastante contato com diferentes pessoas e uma vida mais corrida do que a atual.

Pense que isso é temporário e por mais que o trabalho home office tenha vindo com tudo e as coisas realmente não voltem a ser o que eram, não estaremos para sempre confinados. Pode demorar um pouco para a pandemia passar definitivamente, mas temos que estar atentos e abertos às mudanças.

Com isso quero dizer que você poderá sim logo voltar à sua rotina, mas também que é perfeitamente capaz de alterar seu mindset e ver com otimismo essa situação.

Para te ajudar de maneira mais objetiva, segue uma lista de importantes dicas. Pratique e vai ver os resultados rapidamente!

  1. Organize seu espaço

Não se jogue em qualquer canto, ficando com a coluna torta ou mal sentada. Mesmo que não tenha um cômodo só para seu escritório, disponibilize um espaço simples, mas iluminado e aconchegante, evitando se distrair com TV ou celular. Este hábito fará inclusive com que entendam que você está ocupada, caso resida com outras pessoas. Faça também da organização a sua aliada, começando e encerrando cada dia de trabalho com uma arrumação do local escolhido.

  1. Rotina

Acostume-se a acordar no mesmo horário e a não estender o expediente desnecessariamente. Estabeleça uma rotina, levantando, tomando banho e colocando uma roupa diferente do pijama. Isso fará com que seu cérebro entenda que está no “modo trabalho”. Por que não colocar o seu crachá no pescoço e tirá-lo quando for fazer pausas ou encerrar o dia?

  1. Agenda

Faça uma agenda, seja em papel, no celular ou da maneira que mais lhe agradar. Liste o que precisa fazer que é do trabalho, da casa e para você mesma. Isso permitirá que você entenda cada necessidade e se programe, sem ficar perdida em emoções que vão te levar para baixo, mas ocupada de forma a aumentar a sua produtividade.

  1. Faça pausas

Faça pausas, cuide da alimentação, exercite-se e não se deixe levar pelo desânimo; coloque o despertador para funcionar e se programe para fazer atividades diferentes e não relacionadas ao trabalho. Leia, ouça música, medite!

  1. Não se deixe levar pela pressão

Pressão por produtividade, entregas, reuniões e performance! Ufa! Lembre-se: você ainda é a mesma pessoa, as coisas mudaram significativamente, mas as suas competências, habilidades e capacidades não. Aliás, essa é uma ótima oportunidade para desenvolver novas competências! Seja direta com seu líder, colegas, clientes; quando a comunicação não pode ser frente à frente ela tem que ser ainda mais clara e objetiva.

  1. Faça contatos

Seja com os colegas de trabalho, de diferentes setores ou mesmo com amigos com os quais você frequentemente se encontrava pessoalmente. É importante marcar na agenda um telefonema para um amigo, uma vídeo conferência com um familiar, o exercício físico com o professor da academia. Ou seja, não se isole. Faça contato com os moradores do condomínio, com um vizinho idoso e não se deixe levar pelos maus sentimentos. Se preocupe com outras pessoas além de você mesma e vai ver como isso ampliará a sua mente, tirando o foco do que está te fazendo mal.

  1. Avalie seus sentimentos

Ao anoitecer, avalie seus sentimentos e veja como passou o dia, comece a notar os motivadores, os gatilhos de cada sentimento ruim e perceba sutis mudanças, aprendendo a trocar crenças negativas por pensamentos mais otimistas e positivos. É muito fácil se deixar levar pelo que é ruim e entrar num turbilhão de negatividade. Respeite os seus sentimentos e não os deixe de lado, valorize o que sente e ame a si mesma. Pare de listar mentalmente os seus defeitos e passe a pensar em suas potencialidades!

  1. Não faça isso!

Não assista telejornal que só mostra desgraça! Preferencialmente, se informe pela internet, pois, papel não tem emoção. Programe-se para ver as notícias no máximo 2 vezes ao dia e nunca antes de dormir! Cuide da qualidade das informações que está recebendo, pois, em tempos de incerteza já é natural ter um aumento da ansiedade. Se, aliado a isso, ainda ficarmos entrando na onda do desespero, será um prato cheio para a desmotivação! Estimule a positividade e a esperança!

Compartilho esse artigo para que possa lidar com os sentimentos de estresse, bastante comuns em época de incertezas: https://www.lucianevecchioconsultora.com.br/psicologia-comportamento/dicas-importantes-para-lidar-com-o-estresse/162

  1. Pratique a gratidão

Encerre os seus dias com a prática do diário da gratidão, anotando o que tem de bom para agradecer. Essa tarefa parece boba, mas, eleva seus níveis de otimismo e faz com que consiga ver o lado bom da vida e saiba agradecer por mais um dia e por tudo o que fez, conquistou e sentiu naquele dia. Coloque uma música, dance, desenvolva sua espiritualidade e celebre a vida!

  1. Procure ajuda!

Muitas pessoas tendem, erroneamente, a ter sérios preconceitos com o trabalho do Psicólogo e do Psiquiatra e ficam sofrendo sozinhos, muitas vezes desenvolvendo depressão, burnout ou outras síndromes. A maior parte dos profissionais atende on-line e você terá todo o apoio emocional de que precisa. Assim como a saúde física, a saúde mental também deve ser levada a sério. Deixo este artigo para que possa se informar mais sobre o tema: https://www.lucianevecchioconsultora.com.br/carreira-empregabilidade/sindrome-de-burnout/139

Cuide-se!

_____________________

Luciane Vecchio
Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento
CRP: 06/74914

Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]