Fui demitido por justa causa!

E-mail enviado por um leitor:

Olá Fui demitido por justa causa por enviar uma mensagem de WhatsApp errada. Enviei a mensagem para uma pessoa da empresa por engano. Fui demitido por assédio moral no trabalho. Isso pode me desligar definitivamente do mercado de trabalho? Ou seja, demissão por justa causa impede recolocação no mercado de trabalho?

Resposta: Que situação chata, sou empática à dor que está sentindo, pois, sem dúvida não era a sua intenção usar uma mensagem para denegrir alguém.

Certamente precisamos todos aprender a controlar nossos impulsos e tomarmos cuidado com as ferramentas que temos à mão e com o uso que fazemos delas.

A tecnologia é maravilhosa, mas, principalmente no mundo corporativo, temos que saber que a ética, o compromisso com a verdade e a honestidade estão acima de tudo; e que temos que ter maturidade para resolver nossos conflitos diretamente com os “nossos desafetos” ou ainda guardarmos alguns pensamentos e comentários para nós mesmos.

Não sei o cunho da mensagem, mas, se foi uma demissão por justa causa, a situação deve ter sido mais grave do que as que normalmente ocorreriam. Ou seja, apenas um conflito entre colaboradores que poderia ser resolvido numa conversa madura.

Também não sei qual o seu ramo, segmento, se as pessoas se conhecem mais ou menos, se são muito próximas, mas, quando você for solicitado a responder os motivos de saída dessa empresa, em uma entrevista, como responderá a isso?

Algumas empresas ainda praticam ligar para os gestores anteriores pedindo referência e essa situação pode vir à tona. Como você se preparará para lidar com ela e estruturar o seu discurso? Quais foram os resultados que você entregou à empresa nos anos trabalhados? Certamente os acertos são mais numerosos do que este erro. Vá pensando numa estratégia que te dê segurança para falar de um assunto tão complexo.

Talvez a saída seja enaltecer muito mais o que fez de bom deixando essa situação se apagar naturalmente.

A questão é: você ainda é a mesma pessoa que enviou aquela mensagem? Você acredita que amadureceu com essa situação e que agiria diferente numa próxima oportunidade?

Senão, peço que reflita e reveja sua postura. Se sim, saiba que o controle está em suas mãos e que você pode ter nova postura em outra empresa.

Certamente, as portas não se fecharam para sempre, o mundo muda muito rápido e novas oportunidades poderão sim surgir em sua vida. Nada é definitivo!

Seja verdadeiro e diga o que aprendeu com a situação

Eu não aconselho a mentir se for questionado o motivo da justa causa, mas sim de mostrar honestidade e o que aprendeu com a questão. Se perguntarem o que o motivou a que enviasse uma mensagem indevida, penso que deve embasar bem a sua resposta e mostrar o que aprendeu com esse erro. Veja, mesmo que a mensagem tenha sido direcionada para outra pessoa, por qual motivo você trocava áudios ou textos com alguém falando de uma terceira pessoa?  Se você fosse o líder, gostaria de ter um colaborador que usasse o seu tempo com isso?

Certamente essa troca não enriqueceria nenhum dos lados e você poderia usar esse tempo para se desenvolver, aprender algo...

Claro que tudo o que você não precisa agora, é que eu te julgue e saiba que não estou fazendo isso, apenas convidando você à reflexão dos motivos dessa sua escolha em agir assim e o que pode tirar de proveito disso tudo.

Como lidar com essa situação

O que isso não deve fazer com você, com sua carreira e com sua vida, é deixar uma marca tão profunda que você não consiga nunca mais se perdoar. Se perdoe, siga adiante, seja honesto com você mesmo e com os demais e prove que numa próxima chance, você fará diferente.

Muitas empresas estão mais abertas à contratação de pessoas com alguma situação prévia em suas histórias profissionais. Afinal, não somos (nenhum de nós) perfeitos e todos somos passíveis de erros.

Continue concentrando esforços e energia em sua recolocação, mostrando seu bom CV, sua trajetória, destaques, resultados e competências, com humildade, para ainda desenvolver os pontos que não estão ainda maduros.

E busque processos de autoconhecimento para compreender melhor suas questões e lidar com qualquer situação de maneira adequada numa próxima oportunidade.

Sucesso!

_____________________

Luciane Vecchio
Psicóloga Clínica, Master Coach, Especialista em RH, Carreira, Liderança, Executive & Life Coaching, Colunista de Carreira & Comportamento
CRP: 06/74914

Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]