Os tímidos também podem ter ascensão na carreira?

E-mail enviado por um leitor:  

“Gostaria de saber se para se ter uma ascensão na carreira, a questão do carisma é uma condição ou um mito? Os tímidos e humildes têm vez? Ou isso vai depender da área de atuação?”   

Resposta: Logo de cara vamos desmistificar a questão de que ter carisma é não ter humildade? E que ser tímido é antônimo de ser carismático?

Algo que também temos que nos lembrar é que nem todo introvertido é pouco carismático e ao contrário, nem todo extrovertido é uma deliciosa companhia.

Afinal, não há extrovertidos que na verdade são pessoas chatas? E também não é fato que sujeitos tímidos podem ser parceiros fantásticos quando rompemos a barreira da primeira impressão?

Conheço muitas pessoas tímidas, mas, extremamente carismáticas, bem como outras bastantes humildes e igualmente donas de um carisma gigantesco.

Há espaço para todo mundo no mercado de trabalho, mas, claro que entendo sua pergunta e preocupação, pois, normalmente quem se apresenta mais rapidamente e com mais audácia são pessoas menos tímidas, que conseguem “se vender melhor”.

Porém, sim, é um mito que apenas alguns conseguem ascender e somente por serem mais relacionáveis.

Em algumas áreas, é fato que profissionais com menos timidez podem mais rapidamente se mostrar, porém, manter-se em destaque necessita mais do que apenas carisma, ou seja, outras competências e habilidades serão exigidas para permanecer tendo sucesso.

Para ajudar a desmistificar mais ainda essa questão, cito algumas pessoas conhecidas pela maioria que, apesar da timidez, conseguiram ter destaque em suas áreas de atuação. Certamente, cada um de nós têm outros exemplos de indivíduos não tão famosos que também conseguiram seu lugar ao sol, mesmo sendo tímidos.

Apesar da introversão, a maior parte deles reconhece que conviver com outras pessoas é necessário para ter sucesso. Ou seja, no limite, desenvolver a habilidade de comunicação é uma escolha inteligente!

Bill Gates (acredita que pessoas tímidas podem se dar muito bem, bastando se esforçarem para realizar aquilo que mais temem, como conduzir reuniões ou dar palestras), Luis Fernando Verissimo, Maurício de Souza, Cássia Eller, Marissa Mayer (foi CEO da Yahoo - reconhece que não é sua principal habilidade, mas que, para ter sucesso precisou aprender a se relacionar mais e melhor com outras pessoas), Tom Hanks, JK Rowling, Mark Zuckerberg, Warren Buffett (especialmente ele, como exemplo do desenvolvimento do carisma, participou de treinamentos visando se tornar mais sociável), Elon Musk, Freddie Mercury, Albert Einstein, Meryl Streep, Jim Carrey, (alguém imaginava que esses atores de sucesso disfarçassem tão bem a sua timidez?), Michael Jordan, Elvis Presley (dá para acreditar que “Elvis, The Pelvis” era introvertido?) Rosa Parks e muitos outros.

Essa frase de Bill Gates resume tudo: "Eu acho que os introvertidos podem se dar muito bem. Se você é inteligente, você pode aprender a tirar proveito do fato de ser introvertido, como tirar alguns dias de folga e empenhar-se ao máximo para pensar em como resolver um problema sério. Então, se você surgir com a ideia de criar uma empresa e contratar pessoas, é melhor você aprender o que os extrovertidos fazem, ou contratar algum extrovertido (...) a fim de tornar a empresa uma companhia que prospera tanto por causa da sua equipe criativa, quanto por causa da sua equipe que sai para ao mundo para vender essas ideias”. fonte: https://economia.ig.com.br/

Entendo que uma pessoa carismática é alguém com quem desejamos nos relacionar e estar perto, por que é gostoso estar junto de quem traz boas contribuições, energia e vibração positiva. Aliás, como vimos, o carisma é algo que pode ser desenvolvido e, assim como outras competências, podemos aprimorar a nossa capacidade de relacionamento, treinando para sermos mais interativos e menos tímidos.

Então, vamos também desmitificar a questão de que somente quem fala pelos cotovelos pode ter sucesso? Ao longo do tempo, ser introvertido foi visto como um defeito, porém, nos últimos anos as pessoas começaram a valorizar os tímidos e reconhecer a sua importância, entendendo até mesmo a vantagem de ser assim, como a questão de que estes indivíduos, como sentem menos necessidade de se expor a estímulos novos, tem a capacidade de se concentrarem melhor, tendo mais foco na resolução de um problema, por exemplo, pois, são mais perseverantes, encontrando respostas que não seriam vistas por pessoas mais extrovertidas e com pensamento acelerado.

Uma habilidade que está em falta atualmente é a escuta ativa e, na maior parte dos introvertidos, ela é desenvolvida, justamente por não sentirem a necessidade de saírem falando pelos cotovelos! Portanto, são mais capazes de observar antes de agir e de calar antes de falar bobagem!

Sempre vou acreditar e defender a tese de que a pluralidade de personalidades é o ideal para fazer uma empresa performar. Em uma equipe, temos que ter pessoas com diferentes formas de pensar e agir, afinal, se todos forem iguais novas ideias não poderão surgir e não seremos desafiados ao novo.

Para finalizar, pode até ter sido verdade durante um bom tempo que determinadas personalidades se davam melhor em algumas áreas, porém, se sairmos da superficialidade e estudarmos um pouco mais a fundo, veremos que o que faz a diferença mesmo é o empenho que cada um coloca, os esforços que topa investir para ter sucesso na carreira escolhida e não o fato de ser mais ou menos tímido.

Afinal, ser tímido só será empecilho se te impedir de fazer o que você deseja e se você se deixar dominar por isso!

Sucesso!

_______________

Luciane Vecchio
Psicóloga Clínica, Master Coach, Especialista em RH, Carreira, Liderança, Executive & Life Coaching, Colunista de Carreira & Comportamento
CRP: 06/74914

 

Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]