Sobre a dificuldade em dizer "não"...

Sobre a dificuldade em dizer "não"...

Sobre a dificuldade em dizer não...

É curioso (mas pode ser trágico) como temos dificuldade em dizer não.

Não analisarei todas as possíveis razões conscientes e inconscientes, mas, algumas delas certamente são a não enfrentação, a evitação do conflito imaginado e a vontade de ser aceito.

Parece bobagem, mas, analise a quantidade de vezes que você disse sim, querendo e sabendo que deveria dizer não.

Estas situações dificultam nossas relações no trabalho, no aumento do desempenho na carreira e na vida pessoal.

Para conseguir entender a melhor forma de agir em cada situação, é necessário antes conhecermos a nós mesmos. Formas de reação, gostos e desgostos, limites e habilidades.

A melhor forma de dizer não, obviamente é a explicação gentil e assertiva. Porém, pode ser que nem assim sejamos compreendidos, mas isso realmente não dependerá mais de nós, mas dos outros e suas interpretações, questões conscientes e inconscientes e etc.

No começo da minha adolescência, eu tinha a maior dificuldade em dizer sim. Era mais fechada, defensiva e preocupada.

Com o passar do tempo, fui aprendendo e conhecendo a mim mesma, através de muita terapia, e passei a não conseguir dizer mais não. Curiosamente, fui dos 8 aos 80.

Com a maturidade, aprendendo mais sobre a vida e principalmente mais ainda a mim mesma e com a ajuda do coaching, consegui estabelecer tarefas que me levaram a encontrar o meio termo.

Por mais gentil que eu seja, nem sempre a pessoa compreende, mas tenho total consciência de que explico muito bem minhas razões.

Atualmente, já consigo compreender os momentos em que dizer não será a melhor escolha.

Por outro lado, em algumas situações, devemos aprender a apenas dizer não, sem mais explicações, sem a necessidade delas! É NÃO e pronto.

Temos que respeitar nossos limites. E sim, temos que colocar a nós mesmos em primeiro lugar; afinal, aquela velha história de que se você se amar primeiro vai conseguir amar aos outros, não apenas é velha, mas é sábia.

Por mais louco que possa parecer, muitas atitudes diárias que temos e muita dor de cabeça são o resultado da dificuldade em dizer não.

Quantas vezes, nós:

Não sabemos dizer não para o líder;

Não sabemos falar não para o colega;

Não sabermos dizer não para o companheiro/a;

Não conseguimos dizer não para os filhos, amigos, parentes...

Enchemo-nos de atividades e nos incomodamos com o excesso delas. Reclamamos e caímos em um círculo vicioso.

E  pior, não sabemos dizer sim a nós mesmos, quando estamos esgotados e no limite. Quando reconhecemos que mais um SIM será a gota d'água!

Não sabemos dizer não às situações que nos fazem mal, à fata de tempo, aos hábitos errados ou maléficos, às pessoas tóxicas.

Simplesmente não conseguimos. Mas, muitas vezes, se quer tentamos!

Mudança de hábito é aprendizado, tentativa e erro, dedicação e autoconhecimento diários. Não dá para estar incomodado e continuar fazendo tudo do mesmo jeito. Queremos novas respostas, mas não mudamos as perguntas ou a forma de fazê-las.

Precisamos sim, sem demora, mudar aquilo que incomoda e que tem trazido desgosto.

Analise comportamentos, anote mentalmente momentos, coloque em prática o “dizer não”.

No começo, tive muita dificuldade, falava não, mas sofria me contorcia querendo dizer sim para a situação ou pessoa para "não ficar mal com ela". Mas, com o tempo, foi ficando leve e eu pude entender que precisava mesmo continuar agindo assim.

Algumas situações precisamos enfrentar e não poderemos dizer não, é verdade; a maturidade, as responsabilidades, a convivência em sociedade nos exigem. Porém, certamente podemos cortar muitas situações com um simples “não”.

Também podemos, em algumas vezes, dizer "talvez" e pensarmos melhor sobre o tema antes dar a resposta final. Mas, não aconselho a abusar dele.

Ah! E se ao contrário, você nunca diz sim, comece a reavaliar o seu grau de generosidade.



- - -

Para te apoiar no aumento de performance em qualquer área da vida, conte comigo!

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem dar o devido crédito.


Luciane Vecchio

Autor: Luciane Vecchio

Psicóloga Clínica, Master Coach, Consultora de Carreira, Especialista em RH, Orientadora Vocacional, Colunista de Carreira & Comportamento. CRP: 06/74914

[email protected]